24 de jan de 2013

O peso de quem voa

imagem: weheartit


Lá estava:
Pisando em espinhos,
Pintando flores
(Sem cor)
Amassando papéis de carta,
Enviando ar por baixo da porta,
Em sonhos, fabricando chaves,
Nos olhos, destacando verdades.

O que será desta mulher que não desiste?
Haverá ela de ver o que não há,
Só para mandar
E tentar
Ser, talvez, quem sabe,
Sendo doce,
A metade de um limão?

Terá que padecer
Para ser,
Além de viver,
Uma gota do rio
Ou a magia de um assobio?

Terá que esperar
O sangue coagular
Na mente sofrida
Estancar tudo o que restar
Até que o remédio chegue
Numa embalagem descartável
Enviada por caridade?

Acaso este é o destino da luta:
Buscar até o fim,
Perseguir com olhos abertos,
Mão atadas e coração partido?

Acaso os espinhos não poderiam ser macios
E a vida menos dura?
Quanto tempo dura,
Quando virá a cura
Para continuar buscando
Enquanto sorri sangrando
E corre atrás dançando?

Este, o medo de quem reprime,
A fonte de alegria dos que gritam,
É a fraqueza de quem bate.
A mão que açoita ao dia
É a mesma que enxuga as próprias lágrimas à noite;
Pela ausência de motivos que a vida encontra,
Pela inveja do brilho no semblante de quem muda
E evolui;
De quem chora, porque o respeito é nulo
Mas ri, porque a esperança é muita.
De quem tem fome

E  grita.

Mas não se desespera,
Porque o que é bom vem com luta,
O que não serve,
Vem com defeito
Ou sem busca.


(Rachel Nunes)

6 comentários:

Danilo MM disse...

Em vez de nos perguntarmos por que outros não desistem, deveriamos arranjar motivos para fazer o mesmo. É preciso realmente muita luta.

Pedro Victor, filho de Dioniso disse...

Rachel Nunes, sei que não valho nada, nem a pena, mas sei que somos bons, perfeitos à nossa maneira e sei que não entendi nada, mas compreendi e senti, fazendo-me apenas chorar (por dentro, porque homem não chora u_u). Sua linda, continue sendo épica e muito foda na hora de mexer com os sentimentos alheios, principalmente os meus.
Com a doçura de um limão,
Pedro Victor

Rachel Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rachel Nunes disse...

Pedro, todo aquele que usa palavras como forma de expressão, por si só já vale muito. É preciso coragem para encarar o interno e conversar com os sentimentos.
Você escreve e, essa arte reveste-lhe de valor.

O choro é apenas uma gota que fugiu do rio que costumamos chamar de alma.
É proibido sentir vergonha do que vem de dentro.

Obrigada pelo elogio. Gosto muito do que você escreve também. ^^
Bjo

Thamires Figueiredo disse...

O que é bom vem com a luta. Verdade! Adorei..

Resistência de Apodi disse...

Não sabia que escrevia. Meu blog tava meu abandonado - por causa das burocráticas escritas dissertativas, das tantas lutas da vida. Mas de que vale a vida sem luta... E sem poesia?

Adorei seus poemas, seu blog! Seguindo!

Abraço!